RESULTADO DA SELEÇÃO DE PESSOAL – IAC

Aside

CANDIDATOS SELECIONADOS

– FRANCISCO PEDRO SILVA ARAÚJO

– FRANCISCO EVANDRO DIAS DA SILVA

– FRANCISCO WILLAME BESERRA NOGUEIRA

– JORGE HENRIQUE ALVES

– RODRIGO LUIS DOS SANTOS MARTINS

– SARA FRANCISCA DO NASCIMENTO CUNHA

 

 

O IAC ENTRARÁ EM CONTATO COM OS CANDIDATOS SELECIONADOS PARA TRATAR SOBRE A CONTRATAÇÃO

Advertisements

RESULTADO DA SELEÇÃO DE PESSOAL – IAC

Aside

                                 

      CANDIDATOS CLASSIFICADOS PARA ENTREVISTA

 

– ERINALDO PEREIRA DA SILVA

– FRANCISCO PEDRO SILVA ARAÚJO

– FRANCISCO EVANDRO DIAS DA SILVA

– FRANCISCA CARLA R. DE SOUSA SALES

– FRANCISCO WILLAME BESERRA NOGUEIRA

– JOÃO CARLOS RODRIGUES DE S. SALES

– JORGE HENRIQUE ALVES

– MÁRCIO ROGÉRIO PEREIRA DA SILVA

– RODRIGO LUIS DOS SANTOS MARTINS

– SARA FRANCISCA DO NASCIMENTO CUNHA

 

CANDIDATOS DESCLASSIFICADOS

– ANTONIO CLERTON MONTEIRO LIMA

– CLAUDIVÃ OLIVEIRA DO NASCIMENTO

– FRANCISCO FERREIRA DE QUEIROZ

– JOSÉ GEOVANE PINHEIRO E SILVA

– RUI RICARTE LEITE

O IAC ENTRARÁ EM CONTATO COM OS CANDIDATOS SELECIONADOS PARA AGENDAR A DATA E HORÁRIO DA ENTREVISTA

Edital de Seleção para contratação de comunicador(a) popular

Aside

1010014_475186422556655_238904015_n

EDITAL DE SELEÇÃO

O INSTITUTO ANTONIO CONSELHEIRO DE APOIO, ASSESSORIA PESQUISA PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO-IAC, Organização não governamental, sem fins lucrativos, situado na Rua Desembargador Américo Militão, 410 – Bairro -Centro – Quixeramobim-Ce abre processo de seleção para contratação, de um/a  COMUNICADOR/A POPULAR para compor a equipe de execução do Programa uma terra e duas águas (P1+2) de acordo com as seguintes especificações:

Cargo: Comunicador/a popular –   Curso superior completo em qualquer área das ciências humanas, sociais e agrárias: comunicação, letras, pedagogia, serviço social, geografia, agronomia, etc;

Carga horária: 40 horas semanais

 ATIVIDADES:

  • Desenvolver trabalhos educativos no campo da comunicação
  • Acompanhar as atividades do Projeto
  • Sistematização de experiências;
  • Produção de cartilhas e boletins informativos;
  • Alimentação do site do Instituto;
  • Divulgação das matérias de interesse institucional nas redes socais;
  • Participação das reuniões da equipe;
  • Desenvolver atividades  com as famílias que fortaleçam a convivência com o semiárido

EXIGÊNCIAS PARA PARTICIPAÇÃO:

 

 Requisitos

  •    Facilidade e /ou interesse em trabalhar com comunicação popular e/ou comunitária, comunicação em rede;
  • Facilidade para escrever texto e fotografar;
  •   Domínio do pacote Office, Internet, incluindo redes sociais;
  •   Facilidade de relacionamento e capacidade para trabalhar em equipe;
  •   Disponibilidade para viagens e trabalho finais de semana quando necessário;
  •    Disponibilidade para participar de momentos de formação
  • Não ter vinculo empregatício com os órgãos públicos municipais, estudais e ou federais
  • Conhecimento na temática da Convivência com o Semiárido;
  • Possuir Carteira nacional de Habilitação preferencialmente categoria AB;

 Desejável    

  • Experiência com comunicação popular/comunitária/rede;
  • Experiência em organizações da sociedade civil, movimentos sociais, redes;
  • Capacidade de dialogar sobre a temática da comunicação com diferentes grupos nos espaços da organização;
  • Conhecimento em ferramentas de edição gráfica: CorelDraw e Photoshop
  • Interesse em temas relacionados a convivência com o Semiárido, como   cidadania, gênero, agricultura familiar, agroecologia, entre outros.

   Atribuições

  • Animar os processos de comunicação no território de atuação da entidade;
  • Contribuir com a formulação de estratégias de comunicação em rede na ASA estadual e na ASA Brasil;
  • Contribuir com o debate político da comunicação comunitária e popular;
  • Sistematizar experiências de convivência com o Semiárido;
  • Produzir textos e matérias para os diversos veículos de comunicação da ASA.
  • Propor e acompanhar a elaboração de materiais de comunicação da organização a qual está vinculado e da ASA estadual;
  • Trabalhar na cobertura de eventos promovidos pela ASA ou do interesse da entidade;

PROCESSO SELETIVO:

 

  • Apresentar currículo, cópias de RG, CPF, Carteira de Habilitação, comprovante de residência e documentos comprobatórios do curriculum na sede do IAC, na Rua Desembargador Américo Militão, 410 – Bairro: Centro – Quixeramobim-Ce, de 08:00 as 12:00 e de 14:00 as 18:00 horas até o dia  30 de Abril de 2014.
  • Os (as) pré-selecionados (as) serão convocados/as para entrevista.

 INFORMAÇÕES:

  • Pelos telefones (88) 3441.1824. Falar com Santana ou Onélia

Quixeramobim-CE, 23 de Abril de 2014.

 

 

 

Aside

1010014_475186422556655_238904015_nO INSTITUTO ANTONIO CONSELHEIRO DE APOIO, ASSESSORIA PESQUISA PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO-IAC,

Organização não governamental, sem fins lucrativos, fundada em 2001, situado na Rua Desembargador Américo Militão, 410 – Bairro -Centro – Quixeramobim – CE abre processo de seleção para contratação de profissionais para compor a equipe do IAC na função de Animador/a de campo, de acordo com as seguintes especificações:

Cargo: Animador/a de Campo (Nível de escolaridade Médio (Preferencialmente Técnico Agrícola) ou Superior (preferência em ciências agrárias).

Carga horária: 40 horas semanais.

ATIVIDADES:

  • Executar e implementar todas as atividades do projeto nas diversas instâncias;
  • Realizar/ Coordenar reuniões juntos aos beneficiários e parceiros;
  • Aplicar cadastro de seleção de famílias;
  • Mobilizar e acompanhar as capacitações de GRH (gerenciamento de Recursos Hídricos) GAPA (Capacitação em Gestão da água para Produção SISMA (Capacitação em Manejo de Sistema Simplificado de Água para Produção)  e Pedreiros;
  • Acompanhar a entrega dos materiais das cisternas;
  • Acompanhar recebimento das cisternas concluídas certificando-se da sua qualidade;
  • Aplicar/Fazer termo de recebimento de cada família participante do projeto;
  • Acompanhar sistematicamente as atividades de formação;
  • Acompanhar e favorecer a participação das Comissões Municipais Pela Vida no Semiárido;
  • Elaborar relatórios;
  • Implantar conjuntamente com a família os sistemas de produção (Caráter produtivo e quintais produtivos)

EXIGÊNCIAS PARA PARTICIPAÇÃO:

  • Ter experiência profissional de trabalho com agricultura familiar;
  • Possuir Carteira nacional de Habilitação preferencialmente categoria AB;
  • Conhecimento do trabalho da Articulação Semiárido Brasileiro (ASA) e das temáticas relacionadas ao Semiárido: Desenvolvimento Local, Extensão Rural  para Agricultura Familiar, Organização Associativa, Agroecologia, e     Mobilização    Social, Água: Convivência com o Semiárido; 
  • Capacidade de coordenar reuniões;     
  • Conhecimentos dos recursos de informática (Word, internet, Excel e outros);
  • Facilidade para o trabalho em equipe;
  • Disponibilidade para viagens de campo e trabalho aos finais de semana quando necessário;
  • Identificação com a missão e os objetivos da instituição;
  • Não ter vínculo empregatício com os órgãos públicos municipais, estaduais e ou federais mesmo que na condição de licenciado;
  • Ter conhecimentos técnicos e práticos sobre as tecnologias de convivência com o Semiárido;

  • Habilidade para o diálogo com público interno e externo

  PROCESSO SELETIVO:

  • Apresentar currículo, cópias de RG, CPF, Carteira de Habilitação, comprovante de residência e documentos comprobatórios do curriculum na sede do IAC, localizado na Rua Desembargador Américo Militão, 410 – Bairro: Centro – Quixeramobim-Ce, de 08:00 as 12:00 e de 14:00 as 18:00 horas até o de 12 de Março de 2014.
  • O Instituto divulgará a lista dos/as pré-selecionados/as com data da entrevista.

INFORMAÇÕES:

  • Pelos telefones (88) 3441.1824. Falar com Santana ou Onélia

Rua Desembargador Américo Militão, 410 – Centro – Quixeramobim – CE – CEP: 63.800-00

Fone-Fax: 88-3441-1824

iacceara@iacceara.org

Quixeramobim-CE, 28 de Fevereiro de 2014.

 

 

 

 

Oficina de fotografia discute a importância da fotografia humanista no reconhecimento do outro

Mayara Albuquerque – comunicadora popular da ASA-IAC
Quixadá
17/02/2014

“Para mim o sujeito de uma fotografia é sempre mais importante que a fotografia. E mais complicado…”
Diane Arbus

  

Dinâmica de integração através de fotos de acervo pessoal | Foto: Mayara Albuquerque / Arquivo IAC

Dinâmica de integração através de fotos de acervo pessoal | Foto: Mayara Albuquerque / Arquivo IAC

      No último sábado, dia 15, o grupo de jovens da comunidade Bom Jardim, em Quixadá (CE), bateu um papinho sobre fotografia humanista e conheceu um pouco da história da fotografia através da “Oficina de fotografia – conversa com fotógrafos humanistas” facilitada pela comunicadora popular do Instituto Antonio Conselheiro, Mayara Albuquerque. A oficina teve como principal objetivo refletir sobre a importância da fotografia na construção da memória coletiva, com foco nos fotógrafos humanistas e como objetivos específicos – conhecer a história da fotografia; conhecer a fotografia humanista através de nomes como João Roberto Ripper, José Albano, W. Eugene Smith, Dorothea Lange, Cartier- Bresson, e por último, conhecer um pouco da linguagem e técnica fotográfica.

        Inicialmente, foram feitos alguns exercícios de teatro para “desacanhar” os meninos e meninas. Após os exercícios, foi a hora de se apresentar. Cada participante apresentou uma foto do seu acervo pessoal e contou um pouco da sua história por meio daquela foto. Alguns esqueceram os retratos, mas os amigos não perdoaram. O arquivo dos celulares acabou entrando no meio, trazendo à tona a evolução da fotografia. Toda foto tem um causo, Marcinha lembrou que foram 25 anos de luta para conseguir energia elétrica na comunidade. Com toda a peleja, o jeito foi fazer promessa. O tio de uma das meninas participantes da oficina prometeu no dia da inauguração da energia, se um dia isso se tornasse realidade, que se vestiria de bailarina. Não teve outra, no tão sonhado dia, arrumaram uma fantasia de bailarina de carnaval e o rapaz teve que se vestir. Infelizmente, a foto sumiu. Já dá para imaginar o que aconteceu com ela. Após a dinâmica intitulada “Álbum de família” deu-se início a discussão sobre o que é fotografia. Para a maioria, fotografia é lembrança, recordação, registros. Outros responderam “conhecimento, “viver o que não viveu, “a arte do esquecimento”, “momentos”, “expressão”, “conhecimento”.

       A fotografia não teve apenas um inventor, o estudo e trabalho árduo de químicos até filósofos colaboraram com o seu surgimento. Câmara escura, primeira fotografia da História, marcos da fotografia, o envolvimento de figuras como Leonardo da Vinci, tudo isso foi debatido na roda de conversa. Após conhecer um pouco da história da fotografia, foram exibidos trabalhos de fotógrafos e fotógrafas humanistas, um pouco da história das fotos e de seus artistas. Também foi exibido um trecho do doc “João Roberto Ripper – Especial Imagens Humanas”, em que Ripper conta um pouco da história da documentação de alguns de seus trabalhos.

       Já que a história do cinema nasceu com o surgimento da fotografia, o audiovisual continuou presente na formação com a exibição do documentário “Câmara Viajante”, de Joel Pimentel. O doc retrata o imaginário da fotografia através dos fotógrafos que atuam nas festas, feiras e romarias do interior do Ceará. O vídeo arrancou boas risadas e lembranças, Marcinha ressaltou que agora eles revelam as fotos em 15 minutos. Em pouco tempo você leva a sua foto com “Padim Ciço” pegando na sua cabeça de recordação.

Participantes praticando | Foto: Mayara Albuquerque / Arquivo IAC

Participantes praticando | Foto: Mayara Albuquerque / Arquivo IAC

        Já no finalzinho, com a fome batendo à porta, foi visto um pouco da técnica e linguagem fotográfica. Iso, obturador, diafragma, foco e profundidade de campo, exposição, composição, enquadramento, edição de fotos. Assuntos levemente debatidos, sem esquecer que o equipamento faz diferença sim, mas a sensibilidade faz mais. Como disse sabiamente, um dos gênios da fotografia do século XX, Cartier- Bresson, para fazer uma foto é preciso “colocar a cabeça, os olhos e o coração e alguém no mesmo eixo.”

           Antes do almoço, ainda deu para ver o trabalho do fotógrafo Muhammed Muheisen, que documentou as expressões de crianças refugiadas do Afeganistão, como inspiração para a saída fotográfica à tarde e “12 conselhos para ser um fotógrafo feliz” do site “Fotografe uma ideia – FUI”.  Durante a tarde, apesar da chuvinha fina, ainda deu para praticar um pouquinho e encerrar o dia com belos retratos e sorrisos.